Portal de Notícias e Web Rádio – CNPJ 44.219.101/0001-23

* Pegou muito mal a atitude desrespeitosa de três vereadores de oposição na sessão ordinária de terça-feira. Enquanto a vereadora Regina Cioffi (PP), usava a tribuna para comentar sua posição em relação a moção de repúdio no âmbito da educação, os vereadores Lucas, Diney e Thiago deixaram o plenário e se dirigiram os três a um dos gabinetes. O motivo da saída não ficou claro para os presentes e gerou descontentamento em outros vereadores que criticaram a atitude dos três vereadores oposicionistas.

* Continua nas redes sociais a polêmica em torno da poda radical que a prefeitura está fazendo nos canteiros que protegem os pilares que sustentam as vigas do monotrilho ao longo da Avenida João Pinheiro. A retirada das árvores e das plantas que tinham como finalidade “esconder” a estrutura de concreto deixa à mostra de novo a horrorosa estrutura que sustenta a linha do monotrilho cujo destino continua indefinido.

* Pois bem, se a retirada das árvores e das plantas está sendo feita apenas para receber um novo paisagismo a medida nos parece equivocada sem termos antes uma solução definitiva para o monotrilho, até porque se a decisão a ser tomada futuramente for a de desmanchar toda a estrutura de concreto, o serviço de paisagismo será perdido. Claro que a retirada dos pilares e das vigas implica também na retirada dos canteiros de proteção.

* Então, porque não decidir o que fazer com o monotrilho antes de perder tempo, serviço e dinheiro público com algo que será desfeito caso a decisão seja pelo desmanche do equipamento? A não ser que o chefe do executivo tenha certeza de que vai conseguir empurrar aquilo que se tornou um elefante branco de volta para a iniciativa privada. Nesse caso a poda radical até se justifica.

* Extinto o ciclo da extração de minério de alumínio, Poços de Caldas poderá se tornar o centro de várias indústrias que produzem louças sanitárias. Depois da Cerâmica Togni que foi a pioneira, a Lorenzetti, indústria criada pelo empresário AnibalTogni está produzindo a todo vapor em sua unidade local louças sanitárias e em breve a cidade poderá contar com uma terceira indústria que atua no mesmo ramo, no distrito industrial.

* Trata-se da Docol, com sede em Joinville cuja implantação de uma unidade em Poços está praticamente definida, faltando apenas o anúncio oficial que deve ser feito em breve pelo prefeito Sérgio Azevedo junto com dirigentes da empresa. Em 2018, a Docol, de Joinville fabricante de metais sanitários, decidiu ampliar suas atividades construindo uma fábrica de louças sanitárias. Os acionistas bateram o martelo em assembleia da companhia e decidiram que a tradicional empresa de metais sanitários vai entrar neste novo mercado e após estudo,pelas suas reservas de argila, facilidade de transporte e infraestrutura escolheram Poços de Caldas.