* Pelo andar da carruagem, a novela que tem como enredo o lixo doméstico coletado diariamente na área urbana vai continuar, mesmo após a licitação que teve como vencedora a empresa (enrolada) que é dona do aterro sanitário localizado no município de Casa Branca, interior paulista.

* O assunto voltou à tona ontem na sessão ordinária da Câmara e o próprio líder da bancada do prefeito, Flávio Togni de Lima e Silva disse não acreditar que o transbordo do lixo para um aterro em território paulista seja a melhor solução para o problema, no que foi acompanhado pela vereadora Regina Cioffi, que tem a mesma opinião.

* Para complicar ainda mais a situação, foi lembrada a ficha pouco recomendada da empresa que venceu a licitação e o problema de que a área onde será feito o transbordo ainda não está preparada para o serviço. O aterro de Casa Branca já deu o que falar em várias cidades onde a empresa que o administra foi acusada de corrupção. A justificativa da comissão de licitação é que a que venceu o certame possui um CNPJ diferente. Tudo bem, mas que o nome da empresa e o aterro são os mesmos, isso também é verdade. Os vereadores deveriam ir fundo nessa questão, até para ter certeza de que tudo foi feito dentro da lei.

* Romeu Zema afirmou, em coletiva na manhã desta terça-feira que o governo estuda uma forma de compensação para os empresários afetados pelas restrições da onda roxa do Minas Consciente, que passa a valer em todo o Estado a partir desta quarta-feira. “Da mesma forma que ocorreu em 2020, está previsto, sim, para este momento difícil, algum tipo de compensação para aquelas pessoas e atividades que vierem a ser afetadas”, afirmou.

* Na coletiva de ontem o prefeito informou que a partir de hoje serão vacinados os idosos de 79 a 81 anos. “Continua normal, não afeta nada, o cronograma de vacina será seguido normalmente. As vacinas vão chegando, vamos aplicando e esperamos na semana que vem atingir os idosos até 75 anos”, disse o chefe do executivo.