* Sobre vacinação, durante a mesma reunião, o vereador Wellington Paulista disse que na sua avaliação a vacinação é uma grande torre de babel e que ninguém se entende, haja vista que em Poços foram vacinados alguns profissionais de educação física, autorizada pelo governo estadual. “Depois foi interrompida e então se vacinou apenas alguns, por que não vacinou os demais?”, questionou o vereador.

* Thiago Mariano, titular da Secretaria de Desenvolvimento e Trabalho (Sedet), está confiante na vinda de duas grandes indústrias para a cidade, em 2022. Diz ele que se trata de uma promessa feita pelo governador Romeu Zema, para marcar a passagem do 150.o aniversário da cidade, que acontece no próximo ano, por coincidência, próximo a eleição quando o governador vai tentar a reeleição. Aguardemos.

* Quem assiste pela internet as sessões da Câmara nota que durante a leitura de alguns requerimentos ou projetos de lei, são poucos os vereadores que prestam atenção na leitura. A maioria se distrai em conversas paralelas o acessando o celular. Mesmo sabendo disso, o pedido de leitura busca, na verdade,dar conhecimento ao público que acompanha as reuniões pela internet.

* A aproximação do Dia Internacional da Enfermagem (12 de maio) aumenta a pressão pela votação do PL que estabelece piso salarial para a categoria, que soma 2,4 milhões de profissionais. Semana passada, a senadora Zenaide Maia emitiu parecer favorável ao PL de autoria de Fabiano Contarato (Rede-ES). Para os enfermeiros, por exemplo, o valor seria de R$ 7.315 para uma jornada de 30h semanais. Entidades do setor hospitalar e de planos de saúde já pediram à Presidência do Senado para não pautar o projeto por conta do impacto econômico.

* O cronometro “fiscalizador do tempo de fala dos vereadores”, uma boa medida implantada pelo presidente Marcelo Heitor, após as longas e desgastantes discussões em torno de moções apresentadas pelo vereador Diney em reuniões passadas, melhorou até mesmo os debates em plenário uma vez que o tempo limite é de no máximo de 5 minutos para cada fala, facilitando inclusive o cumprimento na íntegra do expediente.

* Embora a secretária de educação Maria Helena Braga, tenha afirmado que o cronograma será cumprido e o recurso liberado pelo FNDE para a prometida construção da creche no bairro São bento, zona sul, há quem diga que o dinheiro pode não ser liberado porque o secretário de planejamento não enviou em tempo o projeto para o Ministério da Educação.

* Por falar em educação, o governo Zema apresentou um projeto de lei com o objetivo de acelerar o processo de municipalização das escolas estaduais que ofertam turmas dos anos iniciais (1º ao 5º ano) do Ensino Fundamental. Segundo a Secretaria de Estado de Educação, atualmente 320 mil alunos nessas séries estão sob responsabilidade do governo estadual.