* Mesmo após a realização do sorteio dos apartamentos e até mesmo a vistoria dos imóveis feita pel300 famílias que irão residir no empreendimento financiado pela Caixa Federal, a novela em torno do conjunto Sonho Dourado I parece distante do fim. As chaves não serão entregues tão cedo aos futuros moradores porque a legalização do acesso ao conjunto habitacional agora depende da Prefeitura que escolheu o caminho mais difícil e moroso para legalizar o lote por onde se dará o acesso, já transferido para o Fundo de Arrendamento Residencial (PAR). A construtora comunicou à caixa que executou o empreendimento conforme o projeto aprovado pela prefeitura e já recebeu o habite-seexpedido pela Secretaria de Planejamento.

* O presidente da Câmara, Marcelo Heitor, disse ontem que o legislativo municipal tem trabalhado muito, participado de visita aos bairros, reunindo-se com entidades de bairros, representantes da sociedade civil, levado discussões de assuntos diversos de interesse da comunidade para a elaboração de projetos e busca de soluções. “Este desafio, nós, vereadores, temos encarado com muita responsabilidade, sabendo que temos uma prestação de contas, principalmente, para com a população”, afirmou.

* E o presidente tem razão, o que se nota nesta legislatura, ao contrário do que ocorria na legislatura anterior, é o interesse e a vontade dos vereadores, todos eles, em mostrar serviço, procurando se inteirar dos problemas que surgem no dia-a-dia, buscando soluções, muitas vezes até mesmo se reunindo com o comando do poder executivo para apresentar as reivindicações. A movimentação indica que o comodismo e a inércia dos vereadores na Câmara anterior, onde a maioria deles preferia permanecer em seus gabinetes, foi deixada de lado.

* Nesta época de pandemia, entidades assistenciais do Sul de Minas, estão enfrentando dificuldades na arrecadação de donativos, principalmente de produtos de limpeza e higiene. Matéria divulgada pela EPTV Sul de Minas apontou que em Poços de Caldas o Asilo Vinha do Senhor é uma dessas entidades que teve suas arrecadações reduzidas pela metade, já que no período de onda roxa o seu bazar teve que permanecer fechado. O mesmo aconteceu com a Adefip, que atende cerca de 260 deficientes e que para custear todo o atendimento conta com doações. Segundo a entidade as doações feitas via telemarking teve uma queda significativa. Outra entidade que foi prejudicada neste período foi a Laços ao Vento, que atende pacientes oncológicos e renais, que se mantém através de bazares, refeições e doações. 

* Atitude que merece aplauso. O governador Romeu Zema participou, nesta sexta-feira em Venda Nova e no aglomerado do Morro do Papagaio, em Belo Horizonte, de ação educativa para conscientização do uso de máscara para proteção contra o coronavírus. Zema conversou com os moradores e comerciantes sobre a pandemia e distribuiu máscaras confeccionadas pelos detentos do sistema prisional mineiro. Se não fosse negacionista, Bolsonaro seguiria o exemplo.

* O mês de maio começa com uma notícia nada agradável para os consumidores de energia elétrica. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou nesta sexta-feira que a conta de luz terá bandeira vermelha mês de maio. Isso significa que será cobrada uma taxa adicional mais alta, de R$ 4,169 para cada 100 kWh.