Portal de Notícias e Web Rádio 

* A Auto OmnibusCircullare perdeu na justiça depois de quase 20 anos uma ação em que o promotor dr. Sidney Boccia tinha impetrado contra a mesma por aumento do valor da passagem antes do ano, ou seja, antecipada,R$ 50 mil para o fundo de defesa do consumidor e R$ 16.840,25 destinado a ADEFIP. Essa ação percorreu até o Supremo e lá ela foi considerada como litigância de má fé. Condenação essa que caiu recentemente nas mãos do Promotor de Justiça,Glaucir Antunes Modesto, que determinou o cumprimento dapena.

* Na sessão ordinária de ontem o vereador Diney Lennon (PT), desafiou o prefeito Sérgio Azevedo a fazer uma experiência para saber como anda a acessibilidade na área central da cidade. Segundo o vereador, o chefe do executivo deveria, sentado em uma cadeira de rodas, percorrer a calçada da Rua Assis Figueiredo desde a Rua São Paulo até a Basílica Nossa Senhora da Saúde. Se fizer isso o prefeito vai descobrir que a sua gestão tem ainda muita coisa para fazer no que diz respeito a acessibilidade para pessoas com mobilidade reduzida, compromisso assumido por ele no plano de governo do seu primeiro mandato.

* Já o vereador Roberto Santos (Republicanos) ao discursar sobre o funicular existente no Complexo Santa Cruz, alertou para o risco que existe de aquele complexo vir abaixo e provocar uma catástrofe de consequência imprevisível. Como se sabe, o local está interditado, já foi colocado à venda no segundo ano da primeira gestão do atual prefeito, porém nunca apareceu interessado na compra do prédio que por estar condenado precisa ser demolido restando o aproveitamento apenas da área onde está localizado.

* Roberto Santos, vereador do Republicanos, reclamou ontem também da pouca audiência que tem as sessões legislativas por meio da internet. Tem razão o vereador, isto porque as sessões são realizadas em horário de expediente quando a maioria das pessoas não estão em casa. O presidente Marcelo Heitor até tentou alterar o horário para mais tarde, porém, devido a pandemia, foi obrigado a voltar atrás. O certo seria as sessões serem feitas à noite e se possível com a transmissão direta por uma das emissoras de televisão locais. Isso daria maior visibilidade as sessões e principalmente aos vereadores.