Edificações do patrimônio histórico estão sendo vistoriadas pelos bombeiros

Atendendo à solicitação do Ministério Público, através do Promotor de Justiça, Dr. Sidnei Boccia, desde o dia 5 de setembro de 2018, todos os imóveis que integram o inventário do patrimônio histórico e cultural da cidade estão sendo vistoriados pelo Corpo de Bombeiros.

Ontem, o promotor encaminhou ofício para o Analista do Ministério Público, Dr. Julio Vieira da Costa, referente a proteção do patrimônio histórico/cultural, anexando a extensa relação de bens tombados, em processo de tombamento ou que necessitem ser protegidos no Município que estão passando por vistoria.

Segundo o promotor, a rotina e cronograma de fiscalizações são matérias que envolvem efetivo funcional, aparato material e prioridades institucionais, que “criam peculiaridades e formas de atuar, nem sempre perceptíveis a observadores externos”. O promotor reconhece que a demanda é enorme e que há apenas uma equipe de vistoria do Corpo de Bombeiros para todos os estabelecimentos públicos e os particulares de uso coletivo.

O ofício encaminhado ao analista do Ministério Público tem como principal objetivo, evitar especulações e dirimir dúvidas eventuais sobre a situação atual do nosso patrimônio histórico/cultural quanto a existência ou não do AVCB ou medidas de combate a incêndio e pânico, perguntas que segundo o promotor, devem ser direcionadas diretamente ao Corpo de Bombeiros e não à Promotoria de Justiça.

NOTA: a relação das edificações pode ser conferida no link abaixo. 

Bens do Município IPAC-PC-atualizado-em-ago-2016

 

A última gota

Estamos nos aproximando do final do mês e como sempre, o secretário da Fazenda, Alexandre Lino está sendo obrigado a se virar nos trinta para conseguir recurso suficiente para pagar a folha de pessoal. Como sempre, será preciso uma ajuda do “santo” DME que ontem, após reunião da diretoria, decidiu liberar mais R$ 2,5 milhões para colaborar com o secretário. A liberação foi acompanhada de um aviso: a fonte secou, esta é a última gota das empresas de energia para este ano.Ou seja, o “santo” fez seu último milagre.

 

Crise nas finanças

Na sessão ordinária da Câmara Municipal, ontem, o vereador Paulo Tadeu que está sempre atento aos números das finanças municipais voltou a fazer novo alerta sobre a crise financeira do município. Disse que o “buraco” até o final do ano deve se aproximar dos R$ 100 milhões e que a prefeitura, por conta de dívidas, este ano recebeu apenas 10% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), a segunda receita mais importante da prefeitura.

No entender do vereador, como acabou o dinheiro do DME, não está descartado atraso do pagamento dos servidores nos próximos meses. Os restos a pagar acumulados junto a fornecedores e prestadores de serviço está na casa dos R$ 50 milhões, informou o vereador prevendo um agravamento da crise nos próximos meses.

Fechar Menu