Portal de Notícias e Web Rádio 

* Mais um capítulo na longa novela sobre a privatização dos pontos turísticos. Na edição desta segunda-feira do diário oficial está publicado o comunicado de julgamento da concorrência pública para a concessão de uso e bens públicos para fina turísticos. Diz o comunicado que em virtude de ofício recebido da secretaria de turismo, a Secretaria de Administração, responsável pela concorrência pública está cancelando o processo de licitação que passará por reformulação em seu edital.

* Na tentativa de acalmar a tropa, o prefeito Sérgio Azevedo afirmou a um grupo de secretários e ocupantes de cargos de chefia que nada mudou e tudo continua como antes, procurando tranquilizar a equipe, dizendo ainda que não cogita fazer reforma do secretariado. Esta semana a secretaria de comunicação dará início a uma campanha publicitária com vídeos muito bem produzidos, mostrando as principais realizações do governo neste primeiro período do segundo mandato.

* Acompanhado do secretário de obras, José Damião, o pré-candidato a deputado federal Celso Donato, deu um rolê na manhã de sábado pela área central e ficou satisfeito com a receptividade das pessoas que encontrou pelas ruas e nos cafés do centro e no mercado municipal. Quando alguém, puxava o assunto relacionado a crise na saúde e a demissão do secretário Celso disfarçava dizendo que por estar fora do governo não tem informações, sobre o fato.

* O vereador Diney Lenon está convidando a população para participar, na terça-feira, às 15h, na Câmara Municipal, da votação de solidariedade a denúncia de racismo que teria ocorrido na semana passada em uma agência bancária da cidade. O convite é para uma manifestação pacífica contra racismo e preconceito marcada para o mesmo dia, às 17 horas, em frente ao Banco do Brasil, onde o fato foi registrado.

* Vejam a falta que faz o fato de Poços de Caldas não contar com um representante na Câmara Federal. Segundo noticiário da imprensa regional, a bancada mineira no Congresso Nacional indicou mais de R$ 1,3 bilhão por meio das emendas de relator entre 2020 e 2021. Os gastos ficaram conhecidos como “orçamento secreto” pela falta de transparência sobre sua destinação. O valor é ainda maior, já que sete deputados não apresentaram ao Supremo Tribunal Federal (STF) informações sobre suas emendas e dois senadores também não informaram os dados. A maior parte das emendas da bancada mineira foi destinada aos ministérios do Desenvolvimento Regional e da Saúde.

* Desse valor ainda não conta os R$ 10 milhões, prometidos pelo senador Alexandre Silveira (PSD), para a construção do hospital do câncer, em virtude de o senador ter assumido apenas esse ano o lugar de Antonio Anastasia no Senado. Como a maior cidade do Sul de Minas, Poços de Caldas deveria merecer mais atenção por parte dos atuais deputados. Muitos deles, com certeza estarão novamente por aqui este ano, pedindo votos para serem reeleitos.