Portal de Notícias e Web Rádio 

* Até o início da noite de ontem, o prefeito Sérgio Azevedo e alguns auxiliares ainda tentavam convencer Carlos Mosconi a voltar atrás na decisão de entregar o cargo de secretário de saúde. Segundo informações, Mosconi se mostra disposto a manter o afastamento, decisão tomada no dia do seu aniversário, quarta-feira, e comunicada ao prefeito na manhã do dia seguinte. O nome do médico Daniel Incrocci vem sendo citado como seu provável substituto, caso ele mantenha o pedido de exoneração. Até ontem, o chefe do executivo, não tinha assinado a portaria oficializando as exonerações de Carlos Mosconi e Rosilene Faria.

* Celso Donato diz que não abre mão do apoio de Carlos Mosconi na sua campanha eleitoral, principalmente agora que ele terá tempo disponível para viajar pela região, assim como de Geraldo Thadeu, que foi designado para comandar a campanha do senador Alexandre Silveira na região de Poços. Dois apoios muito importantes para a sua campanha a deputado federal.

* Nos bastidores da política sulfurosa, após a queda do titular da saúde por conta da CPI aberta na Câmara Municipal, rolava ontem a informação de que a secretária de educação, profa. Maria Helena Braga, pode seguir o mesmo caminho, caso os vereadores decidam ir a fundo na contratação da empresa responsável pelo projeto Ativamente, contratado por R$ 2 milhões para a educação básica, sem licitação.

* E agora? Aqueles que acompanham de perto o dia-a-dia na casa amarela estão curiosos por saber qual será o comportamento do prefeito Sérgio Azevedo e quem é que ele vai trazer para mais perto do governo com trânsito livre em seu gabinete. Com a saída de Celso Donato e Carlos Mosconi, o chefe do executivo perde seus principais auxiliares com experiência política. Como o vice-prefeito (está com Covid) é considerado um estranho no meio político e o secretário Paulo Ney tem formação em publicidade, restou ao prefeito apenas o ombro amigo do professor Fabiano Costa para chorar as mágoas.

* Está sendo agendada para a próxima quarta-feira, dia primeiro de junho, uma reunião do secretariado com a presença de vereadores. A intenção do chefe do executivo é fazer um balanço do que foi realizado pelo governo até aqui e divulgar uma agenda com fatos positivos programados para acontecer no segundo semestre, e com isso reanimar a tropa que está abalada com os últimos fatos envolvendo a administração.

* O mais estranho no governo municipal é que o prefeito sempre é o último a saber das coisas. Foi assim com o apoio de 14 vereadores para a criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar denúncias de irregularidades na saúde e agora com a demissão do titular e da adjunta da mesma secretaria.