Portal de Notícias e Web Rádio 

* Os servidores municipais não têm do que se queixar do prefeito Sérgio Azevedo, que vem cumprindo fielmente a promessa feita por ele, no início do seu governo, de que durante sua passagem pelo comando do executivo, a classe seria prestigiada. No acordo firmado com o sindicato este ano, o reajuste para os servidores será de 14,01% e o vale alimentação passou de 530 para 600 reais.

* São poucas as prefeituras que estão repassando para seus servidores o índice inflacionário do período e algumas até encontram dificuldades para manter os salários em dia, coisa que não ocorre na prefeitura local onde o salário vem sendo pago em dia na administração do prefeito Sérgio.

* Quando assumiu o governo, em janeiro de 2017, muitos alardeavam que com a dívida herdada do seu antecessor, o chefe do executivo teria dificuldade para efetuar o pagamento do pessoal. Além de não atrasar nenhum mês, este é o mais um reajuste concedido aos servidores com índice acima da inflação oficial dos últimos doze meses, além do aumento no vale alimentação.

* Por 13 votos e 1 nulo, os vereadores derrubaram o veto total do prefeito Sérgio Azevedo ao projeto de lei complementar da Câmara Municipal que determina que o alvará sanitário só seja dado depois que os interessados digam para onde estão destinando o óleo usado.

* “Eu não entendi este veto. Temos que pensar em políticas públicas para a cidade como um todo. Já está comprovado que o meio ambiente, os recursos naturais são finitos, estão acabando. Se nós não cuidarmos disso meus netos, meus bisnetos não poderão ter água. O que me preocupa é o retrocesso”, lamentou a vereadora Lucia Martins.

* Não é só o PSB que está perdido nesta eleição, sem saber quem deve apoiar ou se lança candidatura própria tanto para presidente como para o Governo de Minas. O MDB ainda segue dividido sobre quem vai apoiar na corrida eleitoral para o governo do Estado. É o que disse o presidente da sigla, deputado federal Newton Cardoso Jr., nesta terça-feira. Segundo o parlamentar, uma ala do partido defende o nome do ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), e outra quer caminhar na campanha à reeleição do governador Romeu Zema (Novo).