Portal de Notícias e Web Rádio 

* A equipe do prefeito Sérgio Azevedo tem pela frente um importante desafio que é a de impedir o fechamento do aeroporto Embaixador Walter Moreira Salles pelo período de um ano, a partir do dia 17 de julho, conforme comunicado já feito pela Agência Nacional de Aviação Civil. (ANAC). O motivo alegado pela agência para a restrição é devido à ausência de retorno do gestor do aeroporto aos inúmeros pedidos de informação da agência, que fez uma fiscalização no local e apontou problemas, como a falta de placas, pintura da pista e irregularidades na área onde as aeronaves ficam estacionadas.

* Seria muito ruim para a cidade e uma mancha na gestão do atual chefe do executivo se o fechamento, uma espécie de punição determinada pela ANAC a administração do aeroporto que pelo visto além de não cumprir com a sua obrigação de manter a estação de passageiros e a segurança da pista de pouso e decolagem ainda é acusada de omissão.

* Sobre o assunto, o ex-prefeito Eloisio do Carmo Lourenço, comentou num grupo de whatsapp que durante a sua gestão, esteve na sede da Agência, onde esclareceu dúvidas sobre a administração do aeroporto local e com isso conseguiu a inclusão de Poços de Caldas no Programa de Investimentos em Logística de Aeroportos, anunciado em dezembro de 2012, com objetivo é melhorar a qualidade dos serviços e a infraestrutura aeroportuária para os usuários.

* O ex-prefeito lembrou ainda que os entendimentos com os governos federal e estadual foram muito favoráveis e que o Governo do Estado já tinha prontos os estudos de viabilidade técnica e projeto executivo. “Eles serão apresentados à Secretaria de Aviação Civil em janeiro e, caso sejam aceitos, o município sai na frente para o início das obras”, ressaltou o ex-prefeito na época.

* Como parte dos entendimentos, no dia 18 de maio de 2016, o chefe do executivo recebeu a chave do novo caminhão de combate ao incêndio. O veículo foi destinado a Poços como parte do Programa de Interiorização de Aeroportos, do Governo Federal, que visa incentivar a construção e ampliação de aeroportos. Até hoje o caminhão se encontra abandonado na garagem do Samu. Por aí já se tem uma ideia de como esta administração nunca se interessou em dar andamento as tratativas para melhoria do histórico aeroporto.

* Caso o fechamento do aeroporto se confirme, além de ser uma derrota para a atual administração, a cidade será prejudicada não só no setor de turismo, como também na estratégia para atrair grandes empresas, onde o fato de contar com um aeroporto em operação é um dos itens que interessam aos empresários. Quanto a invasão da pista, e outras medidas, cabe ao município encontrar solução para que isso não aconteça, quem sabe até construindo um muro ou cerca com câmeras de vigilância que possam inibir a invasão.

* Em janeiro deste ano, o aeroporto local já tinha perdido importância para a ANAC. Depois de 60 anos de atividade, perdeu a estação prestadora de Serviço de Telecomunicações e de Tráfego Aereo. Através da estação, os pilotos que pousam ou decolam recebem informações sobre o tráfego aéreo e condições climáticas por meio da estação meteorológica  visando a segurança e prevenção de acidentes, além disso centenas de aeronaves que sobrevoam o espaço aereo do município também recebiam as informações.

* A verdade é que a administração municipal só acordou agora, diante da ameaça da ANAC em fechar o aeroporto. O presidente da Câmara, vereador Marcelo Heitor cumpre a parte que cabe ao Poder Legislativo e já endereçou ao prefeito, com apoio dos demais vereadores, requerimento solicitando as seguintes informações: Houve relatórios apontando melhorias que deveriam ser realizadas no Aeroporto? Se afirmativa a resposta, enviar todos os relatórios; A ANAC realizou uma vistoria no Aeroporto? Se sim, quando? Caso seja confirmada a proibição de voos no Aeroporto, quais os impactos econômicos poderão ocorrer no Município? Diante desse importante tema, quais medidas estão sendo adotadas pela Prefeitura?