* O levantamento do Caged que aponta as contratações e demissões de empregados com carteira assinada deve voltar ao saldo negativo em Poços, até porque os comerciantes, principalmente de restaurantes, bares, lanchonetes e do comércio em geral, além dos hotéis começaram de novo a demitir funcionários com a permanência da cidade nas restrições impostas pela chamada onda roxa.

* Ao contrário do vice da primeira gestão, Flávio Faria (Rede), que desde o início do governo já era discriminado pelo prefeito Sérgio Azevedo, sendo até “expulso” da sala que ocupava no andar de cima da casa amarela, o vice deste segundo mandato, Júlio de Freitas (DEM), vem sendo prestigiado pelo prefeito que divide com ele a tarefa de gerenciar a máquina administrativa. Mesmo assim, ainda não tem direito a sala exclusiva ao lado do gabinete.

* Aliás, até o secretário de governo, Celso Donato, também foi desalojado da sala reservada ao principal assessor do chefe do executivo e desceu para o andar de baixo. O alcaide de plantão na casa amarela não gosta de dividir os holofotes com ninguém e vez ou outra dá uma colher de cá para Alexandre Lino (Fazenda) e Ana Alice (Administração) companheiros desde os tempos da Coopoços.

* Romeu Zema anunciou no sábado a chegada de medicamentos do kit intubação para socorro dos hospitais mineiros que estavam à beira de um colapso, menos em Poços, onde, graças ao esforço da vereadora Regina Cioffi e do ex-deputado Geraldo Thadeu, os medicamentos foram disponibilizado aos hospitais da Santa Casa e Santa Lúcia, que atendem aos pacientes do SUS. O fornecimento está garantido pelo menos até o final deste mês, garante o laboratório que está trabalhando em três turnos para atender a demanda.

* Mas se faz necessário um esforço dos representantes do partido Novo em Poços (Kleber Silva e André Vilas Boas), no sentido de pleitear junto ao Governo do Estado parte dessa remessa de 45 mil ampolas para “kits intubação” para a cidade. Do jeito que andam as coisas, com o número de pacientes internados em estado grave, o material se torna imprescindível para o atendimento nas UTIs.

* Romeu Zema é daquele tipo que dança conforme a música. Vinha elogiando o presidente Bolsonaro, depois passou a criticá-lo por falhas na condução da pandemia e no final de semana, em entrevista publicada pela Folha de São Paulo voltou a elogiar o presidente afirmando que “ele é muito perseguido”. O agrado deve estar ligado a liberação das 45 mil ampolas do kit intubação, liberado pelo Ministério da Saúde para Minas Geerais na sexta-feira.