Prefeitos e vereadores de todo o país devem ter acordado neste domingo mais alegres com a notícia estampada em vários jornais, entre eles O Tempo, de Belo Horizonte, sobre a possibilidade de se manter por mais dois anos nos cargos que ocupam, sem necessidade de disputar outra eleição.

Esta semana, durante a Marcha dos Prefeitos a Brasília, que contou com a presença de milhares de prefeitos de todo o país, foi apresentada uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) de autoria do deputado federal paranaense Rogério Peninha (MDB) que propõe uma prorrogação dos mandatos dos atuais prefeitos, vices prefeitos e vereadores, até o dia 31 de dezembro de 2022.

A justificativa é a mesma de propostas anteriores e que acabaram não sendo concretizadas, promover a coincidência dos mandatos de presidente, governadores, senadores e deputados com uma eleição geral, “para evitar gastos”. Uma eleição a cada dois anos custa muito caro para o país, dizem os apoiadores do projeto.

Se as propostas anteriores não deram em nada, desta vez a aprovação da PEC não deve ser descartada. Até o prefeito Julvan Lacerda, presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM), que vem ganhando cada dia mais espaço na mídia por sua luta contra o atraso nos repasses constitucionais por parte do governo do estado, já declarou apoio a iniciativa do deputado Peninha que foiprotocolada na Câmara Federal na última quinta-feira.

Um bom motivo para o prefeito Sérgio, o vice Flávio e os atuais vereadores iniciar a semana com o pé direito, mesmo que, jogando para a plateia, digam que são contra ou que ainda não pensaram no assunto.

Péssima notícia para aqueles que já fazem planos para disputar o comando da prefeitura ou uma vaga no legislativo. Pior ainda para quem acha que a administração não vai bem sendo necessária a troca de comando na prefeitura e junto com ela a substituição da maioria dos vereadores.

Fechar Menu