Desvio no DMAE permanece em segredo de Justiça

A ocorrência e o respectivo processo que envolve desvio de recursos do DMAE para a conta particular de uma servidora está correndo em segredo de Justiça. Quem informou isso foi o diretor da autarquia municipal, Paulo César Silva, dizendo que desde o primeiro momento que tomou conhecimento dos fatos, chamou a polícia, fez um boletim de ocorrência ocasião em que a servidora confessou crime. O documento foi encaminhado para inquérito policial e ela foi afastada das funções, sendo criada inclusive uma auditoria, que está sendo feita pelo próprio Departamento no setor contábil financeiro para levantar o valor desviado.

Foram suspensos todos os documentos que levam a assinatura da servidora, assim como sua participação em comissões. Documentos foram encaminhados para o Ministério Público, Câmara Municipal e também ao prefeito Sérgio Azevedo. Por iniciativa do DMAE foram disponibilizados documentos e equipamentos que ela trabalhava para análise da Polícia Civil.

“Todas ações foram tomadas e queremos que a servidora seja punida e os cofres públicos ressarcidos”, informou o diretor. De acordo com ele, o valor real do desvio só será conhecido após a conclusão da auditoria, quando pretende divulgar e encaminhar para as autoridades policiais que estão investigando o caso. Paulinho informou ainda que diversos servidores foram ouvidos e a investigação está nas mãos da policia e que posteriormente o processo seja encaminhado ao Judiciário para as penalidades cabíveis.

“O que nos deixa tranquilo é que foi uma ação descoberta pela diretoria, de um ato que vinha sendo praticado há muito tempo”, disse o diretor do DMAE que diz desconhecer se no desvio houve participação de outros servidores e que a auditoria vai levantar isso. “Essa diretoria, quando toma conhecimento, de qualquer irregularidade, apura e pune quem quer que seja,independente de ser servidor ou de estar trabalhando no Departamento” garantiu o presidente da autarquia de água e esgoto.

Recurso para cirurgias eletivas

A entrega do cheque de R$ 1,5 milhão da Câmara Municipal para o chefe do executivo, recurso destinado a custear cirurgias eletivas, foi concorrida. Com exceção dos vereadores Claudiney Marques (PSDB) e do pastor Wilson (DEM), os demais vereadores estiveram presentes. Vários secretários também marcaram presença.

“Foi uma iniciativa ótima da Câmara e vamos fazer reforçar esta verba. A prefeitura vai colocar o mesmo valor. Vamos disponibilizar o dinheiro para a saúde, avançando na realização de cirurgias eletivas e exames que estão represados devido a pandemia”, disse o prefeito Sérgio Azevedo.

Este não é um problema específico de Poços de Caldas, disse o prefeito, o Brasil todo passa pela mesma situação e muitos deputados estão fazendo emendas para ajudar as cidades informou Sérgio. “Aqui temos a felicidade desta iniciativa da Câmara e vamos começar imediatamente o trabalho, atendendo pacientes que estão na fila aguardando exames e cirurgias”, declarou o chefe do executivo.

Presidente do legislativo se diz recompensado

“Hoje é um dos dias mais felizes e compensadores por estar na vida pública. Foi uma tarde em que pudemos anunciar a antecipação de devolução de recurso da Câmara destinado as cirurgias eletivas para pessoas que estão sofrendo”, destacou o presidente do Poder Legislativo, Marcelo Heitor (PSC).

Segundo ele, antes da pandemia já existia uma espera, mas, por força de lei, as cirurgias eletivas tiveram que ser paralisadas e hoje o município tem um número expressivo de pessoas aguardando. “Sensível a este tema, no início do ano eu apresentei um anteprojeto nessa linha, e agora pensando, trouxe esta proposta de antecipação dos recursos da Câmara carimbado com esta finalidade, conversei com os vereadores e procurei o prefeito para que a iniciativa pudesse ter um resultado prático”, declarou Marcelo.

Ausência notada

Uma das ausências notadas foi do vereador Claudiney Marques, do PSDB, mesmo partido do prefeito.Na sessão ordinária de terça-feira ele manifestou descontentamento na articulação da base do prefeito na Câmara e declarou que em protesto votaria a favor de uma moção de apelo, apresentada pelo do vereador Diney Lenon (PT), para que o prefeito utilize parte dos recursos vindo do acordo do governo com a Vale para a área de saúde.

Na reunião da CPI, quando da leitura do relatório, Claudiney afirmou que houve um abalo da moralidade no pagamento de férias não gozadas e que não entendia um gestor público se achar insubstituível. Para ele, havia aí uma certa arrogância e soberba. As duas falas do vereador, em momentos distintos, não foram vistas pelo prefeito como um afastamento do vereador da base de apoio na Câmara. O líder do governo na Câmara, vereador Flávio Togni de Lima e Silva, disse que pretende conversar com os vereadores da base para retomar os entendimentos.

Reunião no início do mês

O diretor do Hospital Santa Lúcia, Assad Aun Netto, presente no ato de entrega do cheque da Câmara para o executivo, informou que no início de novembro haverá uma reunião da direção do hospital com representantes do governo do Estado para resolver, de vez, a questão dos atendimentos de emergência em cardiologia e neurologia.

Aun se mostrou confiante em uma solução para o problema criado pelo programa Valora Minas que transfere o serviço para a Santa Casa. Para ele, a jogada do Governo com o programa Valora Minas é positiva porque algumas Santas Casas recebiam e não prestavam este tipo de atendimento. “O que não é o caso do Santa Lúcia, que é particular, mas realiza o atendimento”, declarou.  Para receberem, ainda segundo Aun, as Santas Casas terão que apresentar relatórios e planilhas.

* Após algumas conversas, houve consenso e a chapa que vai dará continuidade ao trabalho desenvolvido pela atual diretoria da ACIA já está definida e deve tomar posse num jantar a ser agendado para o novo hotel resort do empresário Waldir Miguel. Sem novidade, tudo continuará como dantes no quartel próximo ao hotel do Abrantes, e o Zé Paulo sendo o principal mensageiro na ligação entre o QG e a sede da entidade de classe.

* Dia 31 de dezembro, chega ao fim o primeiro ano desta administração e os agentes políticos que dela fazem ganham direito a férias. Para não repetir o vexame e desperdício de dinheiro público, como ocorreu no primeiro mandato, o prefeito já deveria solicitar a Divisão de Pessoal a elaboração de uma escala de férias, evitando despesas com pagamento em dobro por férias vencidas, como levantado pela CPI.

* E como nesta gestão, como o prefeito está de boa com o seu vice, já pode também, programar o seu merecido descanso, quem sabe pegando um bronze nas praias cariocas, ou se seguir sugestão do secretário Celso Donato, dar uma esticada até Cancun. Afinal de contas, ninguém é de ferro, né?

* Na relação dos agentes políticos que receberam indenizações por férias não gozadas, o prefeito Eloisio Lourenço não aparece, mas consta da relação, além do seu vice Nizhar com R$ 30.771,04, também os secretários Albert Mareca (Esportes), com R$ 30.231,18 e Nestor Seabra (Fazenda) R$ 22.309,00.

* Como a prefeitura mantém uma estrutura de comunicação social para divulgar assuntos relacionados ao governo municipal, seria interessante que os secretários deixassem esta tarefa para o setor ao invés de postar fotos e notícias, geralmente incompletas e mal redigidas, só para sair na frente e fazer propaganda pessoal. Carapuça para quem servir.

* Convidados para o ato de assinatura da ficha de filiação do senador Rodrigo Pacheco no PSD, o prefeito Sérgio Azevedo e seu secretário de governo Celso Donato não devem viajar a Brasília na quarta-feira, dia da assinatura. Mas não conseguem disfarçar a simpatia pelo presidente do Senado e principalmente pela legenda na qual ele vai se filiar. Não fossem as implicações políticas, ambos também trocariam o ninho tucano pelo PSD. Além de tudo, ficariam livres de Aécio Neves & Cia.

* Marcelo Heitor, do PSC, está se saindo bem na presidência da Câmara Municipal e tomando iniciativas inéditas para a valorização do poder legislativo. A proposta de reservar R$ 1,5 milhão do dinheiro que a Câmara não utiliza e devolve para o executivo para custear cirurgias eletivas foi uma iniciativa inteligente, emarca a sua passagem pelo cargo.

* É justo ressaltar também o apoio que recebeu do prefeito Sérgio Azevedo, que separou mais R$ 1,5 milhão de recurso da prefeitura para que o total a ser investido nas cirurgias somasse R$ 3 milhões. Com isso os maiores beneficiados serão os pacientes que necessitam deste tipo de atendimento.

* O Vulcão voltou a jogar ontem à noite, no estádio Ronaldo Junqueira e mais uma vez desrespeitando o sossego alheio com foguetório em área residencial e próximo a dois hospitais. Tipo da falta de bom senso que só serve para irritar a vizinhança. Se o presidente do time aceitar sugestões, temos um bom lugar para ele soltar os seus foguetes.

Desvio no DMAE permanece em segredo de Justiça

A ocorrência e o respectivo processo que envolve desvio de recursos do DMAE para a conta particular de uma servidora está correndo em segredo de Justiça. Quem informou isso foi o diretor da autarquia municipal, Paulo César Silva, dizendo que desde o primeiro momento que tomou conhecimento dos fatos, chamou a polícia, fez um boletim de ocorrência ocasião em que a servidora confessou crime. O documento foi encaminhado para inquérito policial e ela foi afastada das funções, sendo criada inclusive uma auditoria, que está sendo feita pelo próprio Departamento no setor contábil financeiro para levantar o valor desviado.

Foram suspensos todos os documentos que levam a assinatura da servidora, assim como sua participação em comissões. Documentos foram encaminhados para o Ministério Público, Câmara Municipal e também ao prefeito Sérgio Azevedo. Por iniciativa do DMAE foram disponibilizados documentos e equipamentos que ela trabalhava para análise da Polícia Civil.

“Todas ações foram tomadas e queremos que a servidora seja punida e os cofres públicos ressarcidos”, informou o diretor. De acordo com ele, o valor real do desvio só será conhecido após a conclusão da auditoria, quando pretende divulgar e encaminhar para as autoridades policiais que estão investigando o caso. Paulinho informou ainda que diversos servidores foram ouvidos e a investigação está nas mãos da policia e que posteriormente o processo seja encaminhado ao Judiciário para as penalidades cabíveis.

“O que nos deixa tranquilo é que foi uma ação descoberta pela diretoria, de um ato que vinha sendo praticado há muito tempo”, disse o diretor do DMAE que diz desconhecer se no desvio houve participação de outros servidores e que a auditoria vai levantar isso. “Essa diretoria, quando toma conhecimento, de qualquer irregularidade, apura e pune quem quer que seja,independente de ser servidor ou de estar trabalhando no Departamento” garantiu o presidente da autarquia de água e esgoto.

Recurso para cirurgias eletivas

A entrega do cheque de R$ 1,5 milhão da Câmara Municipal para o chefe do executivo, recurso destinado a custear cirurgias eletivas, foi concorrida. Com exceção dos vereadores Claudiney Marques (PSDB) e do pastor Wilson (DEM), os demais vereadores estiveram presentes. Vários secretários também marcaram presença.

“Foi uma iniciativa ótima da Câmara e vamos fazer reforçar esta verba. A prefeitura vai colocar o mesmo valor. Vamos disponibilizar o dinheiro para a saúde, avançando na realização de cirurgias eletivas e exames que estão represados devido a pandemia”, disse o prefeito Sérgio Azevedo.

Este não é um problema específico de Poços de Caldas, disse o prefeito, o Brasil todo passa pela mesma situação e muitos deputados estão fazendo emendas para ajudar as cidades informou Sérgio. “Aqui temos a felicidade desta iniciativa da Câmara e vamos começar imediatamente o trabalho, atendendo pacientes que estão na fila aguardando exames e cirurgias”, declarou o chefe do executivo.

Presidente do legislativo se diz recompensado

“Hoje é um dos dias mais felizes e compensadores por estar na vida pública. Foi uma tarde em que pudemos anunciar a antecipação de devolução de recurso da Câmara destinado as cirurgias eletivas para pessoas que estão sofrendo”, destacou o presidente do Poder Legislativo, Marcelo Heitor (PSC).

Segundo ele, antes da pandemia já existia uma espera, mas, por força de lei, as cirurgias eletivas tiveram que ser paralisadas e hoje o município tem um número expressivo de pessoas aguardando. “Sensível a este tema, no início do ano eu apresentei um anteprojeto nessa linha, e agora pensando, trouxe esta proposta de antecipação dos recursos da Câmara carimbado com esta finalidade, conversei com os vereadores e procurei o prefeito para que a iniciativa pudesse ter um resultado prático”, declarou Marcelo.

Ausência notada

Uma das ausências notadas foi do vereador Claudiney Marques, do PSDB, mesmo partido do prefeito.Na sessão ordinária de terça-feira ele manifestou descontentamento na articulação da base do prefeito na Câmara e declarou que em protesto votaria a favor de uma moção de apelo, apresentada pelo do vereador Diney Lenon (PT), para que o prefeito utilize parte dos recursos vindo do acordo do governo com a Vale para a área de saúde.

Na reunião da CPI, quando da leitura do relatório, Claudiney afirmou que houve um abalo da moralidade no pagamento de férias não gozadas e que não entendia um gestor público se achar insubstituível. Para ele, havia aí uma certa arrogância e soberba. As duas falas do vereador, em momentos distintos, não foram vistas pelo prefeito como um afastamento do vereador da base de apoio na Câmara. O líder do governo na Câmara, vereador Flávio Togni de Lima e Silva, disse que pretende conversar com os vereadores da base para retomar os entendimentos.

Reunião no início do mês

O diretor do Hospital Santa Lúcia, Assad Aun Netto, presente no ato de entrega do cheque da Câmara para o executivo, informou que no início de novembro haverá uma reunião da direção do hospital com representantes do governo do Estado para resolver, de vez, a questão dos atendimentos de emergência em cardiologia e neurologia.

Aun se mostrou confiante em uma solução para o problema criado pelo programa Valora Minas que transfere o serviço para a Santa Casa. Para ele, a jogada do Governo com o programa Valora Minas é positiva porque algumas Santas Casas recebiam e não prestavam este tipo de atendimento. “O que não é o caso do Santa Lúcia, que é particular, mas realiza o atendimento”, declarou.  Para receberem, ainda segundo Aun, as Santas Casas terão que apresentar relatórios e planilhas.

* Após algumas conversas, houve consenso e a chapa que vai dará continuidade ao trabalho desenvolvido pela atual diretoria da ACIA já está definida e deve tomar posse num jantar a ser agendado para o novo hotel resort do empresário Waldir Miguel. Sem novidade, tudo continuará como dantes no quartel próximo ao hotel do Abrantes, e o Zé Paulo sendo o principal mensageiro na ligação entre o QG e a sede da entidade de classe.

* Dia 31 de dezembro, chega ao fim o primeiro ano desta administração e os agentes políticos que dela fazem ganham direito a férias. Para não repetir o vexame e desperdício de dinheiro público, como ocorreu no primeiro mandato, o prefeito já deveria solicitar a Divisão de Pessoal a elaboração de uma escala de férias, evitando despesas com pagamento em dobro por férias vencidas, como levantado pela CPI.

* E como nesta gestão, como o prefeito está de boa com o seu vice, já pode também, programar o seu merecido descanso, quem sabe pegando um bronze nas praias cariocas, ou se seguir sugestão do secretário Celso Donato, dar uma esticada até Cancun. Afinal de contas, ninguém é de ferro, né?

* Na relação dos agentes políticos que receberam indenizações por férias não gozadas, o prefeito Eloisio Lourenço não aparece, mas consta da relação, além do seu vice Nizhar com R$ 30.771,04, também os secretários Albert Mareca (Esportes), com R$ 30.231,18 e Nestor Seabra (Fazenda) R$ 22.309,00.

* Como a prefeitura mantém uma estrutura de comunicação social para divulgar assuntos relacionados ao governo municipal, seria interessante que os secretários deixassem esta tarefa para o setor ao invés de postar fotos e notícias, geralmente incompletas e mal redigidas, só para sair na frente e fazer propaganda pessoal. Carapuça para quem servir.

* Convidados para o ato de assinatura da ficha de filiação do senador Rodrigo Pacheco no PSD, o prefeito Sérgio Azevedo e seu secretário de governo Celso Donato não devem viajar a Brasília na quarta-feira, dia da assinatura. Mas não conseguem disfarçar a simpatia pelo presidente do Senado e principalmente pela legenda na qual ele vai se filiar. Não fossem as implicações políticas, ambos também trocariam o ninho tucano pelo PSD. Além de tudo, ficariam livres de Aécio Neves & Cia.

* Marcelo Heitor, do PSC, está se saindo bem na presidência da Câmara Municipal e tomando iniciativas inéditas para a valorização do poder legislativo. A proposta de reservar R$ 1,5 milhão do dinheiro que a Câmara não utiliza e devolve para o executivo para custear cirurgias eletivas foi uma iniciativa inteligente, emarca a sua passagem pelo cargo.

* É justo ressaltar também o apoio que recebeu do prefeito Sérgio Azevedo, que separou mais R$ 1,5 milhão de recurso da prefeitura para que o total a ser investido nas cirurgias somasse R$ 3 milhões. Com isso os maiores beneficiados serão os pacientes que necessitam deste tipo de atendimento.

* O Vulcão voltou a jogar ontem à noite, no estádio Ronaldo Junqueira e mais uma vez desrespeitando o sossego alheio com foguetório em área residencial e próximo a dois hospitais. Tipo da falta de bom senso que só serve para irritar a vizinhança. Se o presidente do time aceitar sugestões, temos um bom lugar para ele soltar os seus foguetes.

Revista One 22

Clique e leia:

Revista ONE 22

Revista One 22

Clique e leia:

Revista ONE 22