Energia mais cara

Desde ontem os consumidores estão pagando 3,95% a mais pelo consumo de energia elétrica. O pedido reajuste faz parte da revisão anual e foi autorizado pela Aneel. Anteontem, Eloísio do Carmo Lourenço, que ficou em segundo lugar na eleição, postou em sua rede social que durante os debates o que se ouviu foi que “o DME nunca deu tanto lucro como agora” e questionou o porque então de se aumentar a tarifa. E explicou que o lucro do departamento sai do bolso do consumidor e que, provavelmente, em 2021 o lucro será ainda maior devido ao reajuste na tarifa. Quando foi prefeito Eloisio utilizou cerca de R$ 150 milhões transferidos das empresas de energia elétrica para cobrir rombo nas contas da prefeitura.

Fazendo oposição

O vereador mais votado na eleição, Diney Lennon, do PT, deu mostra de que será uma pedra no sapato do prefeito. Ontem, tão logo soube do aumento da tarifa da Circullare, postou uma carta aberta ao prefeito criticando a medida. Disse o futuro vereador: “Prezado prefeito, após a eleição um golpe contra o povo?Que a empresa de transporte coletivo alega crise, queda na arrecadação e o contrato prevê esse reajuste, não há dúvidas. A questão é: Me parece golpe baixo contra o povo esse reajuste uma semana após a eleição. É justo o povo pagar por isso? Sequer um auxílio emergencial o município providenciou para ajudar as familias que sofrem com o desemprego e agora esse reajuste autorizado pelo prefeito? R$ 0,25 pesa no bolso de quem já passa um sufoco nessa crise toda. Não dá pra apenas observar e lamentar esse aumento. É preciso que esse descontentamento se torne ação de cidadania”, afirmou. No final Diney recomenda ao chefe do executivo estudo sobre a concessão de subsídio para o transporte público.

Poços em terceiro lugar

Poços de Caldas ocupa o terceiro lugar no Ranking de Competitividade dos Municípios que analisa dados da gestão pública e indicadores socioeconômicos em Minas Gerais. O levantamento, produzido pelo Centro de Liderança Pública (CLP), em parceria com a Gove Digital e o Sebrae, analisou 405 municípios com mais de 80 mil habitantes em todo o Brasil. No estado Poços de Caldas só perde para Belo Horizonte e Uberlândia.No Brasil a lista é encabeçada pelo município paulista de Barueri, seguido por São Caetano do Sul (SP); São Paulo (SP); Florianópolis (SC); Curitiba (PR) e Vitória (ES).

Reconhecimento do trabalho

Com 1.010 votos, Flávio Togni de Lima e Silva, afirmou que sua eleição foi uma satisfação e um reconhecimento ao seu trabalho. “São 15 anos de trabalho dedicados a saúde pública e a promoção social e eu acho que a população aprovou o meu trabalho e por isso o reconhecimento nas urnas. É uma felicidade muito grande de poder dar continuidade a este trabalho, agora, no Legislativo onde tenho certeza vamos ter uma boa atuação, fiscalizar o Executivo, mas também trabalhar com harmonia dando celeridade aos processos e projetos”, afirmou.

Pulverização partidária

Levantamento feito pela Associação Mineira de Municípios, com dados do Tribunal Superior Eleitoral, mostra que a pulverização partidária foi uma característica marcante no resultado das eleições para o executivo municipal em Minas Gerais. A análise da AMM destaca que, pela primeira vez desde a redemocratização, nenhum partido político terá o controle sobre mais de 100 prefeituras no estado.

Neste cenário, as siglas mais tradicionais perderam espaço para legendas mais novas nas cidades mineiras.Com vitória em 99 municípios mineiros, o MDB conta com o maior número de prefeituras em relação aos outros partidos. No entanto, a sigla teve queda na representatividade, já que, em 2016, a legenda conseguiu eleger 163 prefeitos. E esse fenômeno se repetiu no PSDB, que também está entre os partidos com maior número de filiados em Minas e que conseguiu eleger 87 prefeitos.

O terceiro partido mais vitorioso nas eleições 2020 foi o DEM, com vitória em 84 municípios. O PSD, partido criado em 2011, se consolidou como umas das principais forças de Minas, mantendo o controle na capital mineira, com a reeleição de Alexandre Kalil, e em Betim, com Vittorio Medioli. De acordo com os dados do TSE, o partido aumentou de 55 prefeituras no Estado, em 2016, para 78 este ano.

O PP, que tinha contabilizado derrotas nas últimas eleições, voltou a crescer no Estado, passando de 55 prefeituras para 66. O Avante passa a controlar 50 prefeituras, se destacando na política mineira, enquanto que o PT viu reduzindo o seu espaço com apenas 26 prefeituras.

Curtas

* Nos bastidores da política no final da noite e início desta madrugada, o ti-ti-ti era grande sobre uma ocorrência policial envolvendo um vereador que não conseguiu se reeleger. A informação é de que ele decidiu descontar na esposa a toda sua raiva contra as urnas. O bafafá doméstico resultou até em ocorrência policial.

* Uma coisa é preciso ficar bem clara nesse tiroteio contra o reajuste da passagem do transporte público. A concessionária do serviço não tem nada a ver com o imbróglio criado pela administração municipal que já deveria ter resolvido o problema da concorrência para a nova concessão dois anos atrás e só não o fez por absoluta incompetência.

* A concessionária apenas reivindica aquilo que está no contrato firmado com a Prefeitura, se existe algo errado nenhuma culpa cabe a empresa cujo serviço continua sendo bem avaliado pelos usuários. A responsabilidade inclusive pela prorrogação do contrato e pelos contratos emergenciais são consequências da falta de prioridade com que o assunto foi tratado peta administração. É isso.

* Tão logo foi divulgado o resultado das urnas com a derrota do candidato do seu partido a prefeito, o deputado estadual Mauro Tramonte, do Republicanos, postou em um grupo de whatsapp um desabafo dando a entender que a partir daquele momento estaria virando as costas para a cidade. Claro que foi apenas um desabafo de momento e quem conhece o deputado sabe que além de ser nascido aqui ainda mantem na cidade residência fixa onde continuam morando seus familiares e que jamais faria isso.

* No entanto o bom senso indica que o deputado não só continuará trabalhando pela cidade como seria uma atitude de grandeza e bom senso, o prefeito reeleito procura-lo para juntos reivindicarem ajuda do governo estadual para as obras que o município necessita. A eleição terminou no dia 15 e a partir de agora o que a população espera é a união de forças em benefício da coletividade, o que não impede o deputado de continuar fazendo oposição e apontando erros cometidos pelo prefeito, assim como a recíproca também é permitida.

* Como dissemos neste espaço, as inadiáveis medidas impopulares que o prefeito precisaria tomar logo após a eleição e no início do próximo mandato provocarão desgaste na sua imagem e prejuízo para o capital político acumulado com a vitória nas urnas.Um capital político pequeno, uma vez que 87.253 mil eleitores de um colégio eleitoral com 117.924 não votaram nele para um segundo mandato. A reação nas redes sociais ao reajuste no preço da tarifa do transporte público em vigor desde a zero hora desta segunda-feira é uma mostra do que vem pela frente.

* Esta reação além de reduzir o capital politico acumulado na reeleição, pode ser um incentivo para as forças de oposição, que estão parecendo baratas tontas com o resultado das urnas, possamencontrar novamente o eixo para se reagrupar e iniciar uma nova ofensiva já de olho nas eleições de 2022O único problema continua sendo a falta de liderança para comandar a tropa.

* E por falar em 2022, a possibilidade de o prefeito Sérgio Azevedo abandonar o cargo para disputar vaga de deputado estadual em 2022 é próxima de zero, por vários motivos, entre eles, a inexperiência do vice na área pública e segundo porque como servidor de carreira e com bom salário, o prefeito dificilmente entraria nessa aventura. Deve apoiar outra pessoa de sua confiança para tentar repetir a boa votação que deu ao então aliado e desconhecido Ulisses Guimarães, na eleição passada. O mais cotado para a disputa é o secretário de governo Celso Donato, se bem que ele também sonha com a cadeira do chefe na próxima em 2024.

* Do alto (nem tanto) da sua reeleição para um segundo mandato o vereador tucano Ricardo Sabino já sonha em presidir a Câmara Municipal no primeiro biênio da próxima legislatura. Já avisou o presidente do PSDB que será candidato ao cargo e não abre mão disso.Tem o apoio irrestrito da sua colega de legislativo (por enquanto), Ligia Podestá.

* Comparada a um jogo de futebol, a campanha eleitoral deste ano mostrou o prefeito Sérgio Azevedo passeando em campo, driblando os adversários e em alguns momentos até se dando ao luxo de esnobar com jogadas de classe para delírio da torcida que ao final aplaudiu o vencedor que ganhou de goleada do time adversário, formado por oito pernas de pau, jogando com três veteranos fora de forma: Geraldo Thadeu, Eloisio Lourenço e ÉrculesTassinari.

* A expectativa com vistas a nova composição do legislativo na próxima legislatura está focada na atuação de pelo menos três dos novos vereadores: Douglas Dofu, eleito pelo DEM, sem as amarras sociais ou religiosas, com uma boa desenvoltura política e que embora integre a bancada da situação não deve atuar preso as amarras do executivo; Roberto santos, do Republicanos, um ex-deputado que terá assento na Câmara e que já avisou que não veio para apenas ser mais um, e o petista DineyLenon que representa a renovação da esquerda na cidade.

* O trio deve dominar o espetáculo que terá ainda Lucas Arruda e Tiago Braz, da Rede para engrossar o coro da oposição, embora com um comportamento moderado. De quebra temos ainda Kleber Silva, do partido Novo que vai atuar de comum acordo com os colegas que compõem a executiva da legenda. Resumo da ópera: o cenário indica que o chefe do executivo enfrentará um legislativo mais atuante e terá pela frente muitos obstáculos para aprovar seus projetos.

* Na bancada da situação o executivo terá a experiente vereadora Regina Cioffi que todos sabem, não é flor que se cheire. Tem personalidade própria, está recomeçando a carreira e como sempre, sem esquecer objetivos maiores na política.

* Existe curiosidade também sobre qual vereador da bancada da situação terá a incumbência de enfrentar o petista DineyLenon em plenário. Na legislatura atual a tarefa coube ao experiente Antonio Carlos Pereira que ao invés do enfrentamento preferiu abrir diálogo com o oposicionista Paulo Tadeu, sendo algumas vezes mal interpretado pelo comando do executivo.

* E por falar nisso, esta semana a comissão de inquérito que apura irregularidades na aplicação e recursos dos fundos municipais deve se reunir para elaborar o relatório final da investigação. E olhem como ficou a comissão: Pedrinho da Zona Sul, Antonio Carlos Pereira, AlvaroCagnani, Paulo Eustáquio e Paulo Tadeu, todos derrotados nas urnas e com uma certa bronca do governo de quem reclamam não ter recebido apoio durante a campanha.

* E como ninguém é de ferro, passada a primeira semana da eleição, o prefeito reeleito Sérgio Azevedo deve tirar pelo menos uma semana de folga com a namorada, nossa querida coleguinha, a jornalista, Elizângela Zanetti, para repor as energias. Quem deve religar o celular depois de duas semanasfora do ar, para atender chamadas e responder mensagens é o secretário de governo Celso Donato que assume o posto na ausência do chefe.

* Quem estará no programa Canal Aberto, da TV Poços, nesta segunda-feira, é o gerente executivo da empresa Circullare, Armando Bertoni, Vai explicar a situação da empresa e as razões que levaram ao reajuste no preço nas passagens. Tarefa que a bem da verdade caberia a alguém da administração municipal que é a gestora do contrato de concessão e única responsável pelo serviço. Na condição de concessionária a empresa apenas cumpre as cláusulas contratuais e as exigências feitas pela contratante, nada mais que isso.

* A nota está na coluna de Ancelmo Góis, ontem, no Globo. O fiasco nas urnas do Partido Novo, que não conseguiu eleger nenhum prefeito na eleição do dia 15, pode levar o governador Romeu Zema a procurar abrigo em outra legenda visando a eleição de 2022. Zema vive divergindo do comando nacional da sigla que sempre quer ser mais realista do que o rei e se o partido não der alguma abertura, seu futuro é incerto. Não fosse a amarelada do seu candidato em Poços, a legenda poderia ter eleito por aqui o seu único prefeito.Zema diz em privado que se não houver mudanças, vai desembarcar.

* Estranhamente, o comitê que gerencia as ações do Covid-19 em Poços de Caldas não divulga o boletim diário com os números da pandemia desde a sexta-feira, dia 20. Nenhuma explicação também foi dada para a não divulgação dos boletins de sábado e domingo e na página oficial da prefeitura consta apenas o último boletim.

Energia mais cara

Desde ontem os consumidores estão pagando 3,95% a mais pelo consumo de energia elétrica. O pedido reajuste faz parte da revisão anual e foi autorizado pela Aneel. Anteontem, Eloísio do Carmo Lourenço, que ficou em segundo lugar na eleição, postou em sua rede social que durante os debates o que se ouviu foi que “o DME nunca deu tanto lucro como agora” e questionou o porque então de se aumentar a tarifa. E explicou que o lucro do departamento sai do bolso do consumidor e que, provavelmente, em 2021 o lucro será ainda maior devido ao reajuste na tarifa. Quando foi prefeito Eloisio utilizou cerca de R$ 150 milhões transferidos das empresas de energia elétrica para cobrir rombo nas contas da prefeitura.

Fazendo oposição

O vereador mais votado na eleição, Diney Lennon, do PT, deu mostra de que será uma pedra no sapato do prefeito. Ontem, tão logo soube do aumento da tarifa da Circullare, postou uma carta aberta ao prefeito criticando a medida. Disse o futuro vereador: “Prezado prefeito, após a eleição um golpe contra o povo?Que a empresa de transporte coletivo alega crise, queda na arrecadação e o contrato prevê esse reajuste, não há dúvidas. A questão é: Me parece golpe baixo contra o povo esse reajuste uma semana após a eleição. É justo o povo pagar por isso? Sequer um auxílio emergencial o município providenciou para ajudar as familias que sofrem com o desemprego e agora esse reajuste autorizado pelo prefeito? R$ 0,25 pesa no bolso de quem já passa um sufoco nessa crise toda. Não dá pra apenas observar e lamentar esse aumento. É preciso que esse descontentamento se torne ação de cidadania”, afirmou. No final Diney recomenda ao chefe do executivo estudo sobre a concessão de subsídio para o transporte público.

Poços em terceiro lugar

Poços de Caldas ocupa o terceiro lugar no Ranking de Competitividade dos Municípios que analisa dados da gestão pública e indicadores socioeconômicos em Minas Gerais. O levantamento, produzido pelo Centro de Liderança Pública (CLP), em parceria com a Gove Digital e o Sebrae, analisou 405 municípios com mais de 80 mil habitantes em todo o Brasil. No estado Poços de Caldas só perde para Belo Horizonte e Uberlândia.No Brasil a lista é encabeçada pelo município paulista de Barueri, seguido por São Caetano do Sul (SP); São Paulo (SP); Florianópolis (SC); Curitiba (PR) e Vitória (ES).

Reconhecimento do trabalho

Com 1.010 votos, Flávio Togni de Lima e Silva, afirmou que sua eleição foi uma satisfação e um reconhecimento ao seu trabalho. “São 15 anos de trabalho dedicados a saúde pública e a promoção social e eu acho que a população aprovou o meu trabalho e por isso o reconhecimento nas urnas. É uma felicidade muito grande de poder dar continuidade a este trabalho, agora, no Legislativo onde tenho certeza vamos ter uma boa atuação, fiscalizar o Executivo, mas também trabalhar com harmonia dando celeridade aos processos e projetos”, afirmou.

Pulverização partidária

Levantamento feito pela Associação Mineira de Municípios, com dados do Tribunal Superior Eleitoral, mostra que a pulverização partidária foi uma característica marcante no resultado das eleições para o executivo municipal em Minas Gerais. A análise da AMM destaca que, pela primeira vez desde a redemocratização, nenhum partido político terá o controle sobre mais de 100 prefeituras no estado.

Neste cenário, as siglas mais tradicionais perderam espaço para legendas mais novas nas cidades mineiras.Com vitória em 99 municípios mineiros, o MDB conta com o maior número de prefeituras em relação aos outros partidos. No entanto, a sigla teve queda na representatividade, já que, em 2016, a legenda conseguiu eleger 163 prefeitos. E esse fenômeno se repetiu no PSDB, que também está entre os partidos com maior número de filiados em Minas e que conseguiu eleger 87 prefeitos.

O terceiro partido mais vitorioso nas eleições 2020 foi o DEM, com vitória em 84 municípios. O PSD, partido criado em 2011, se consolidou como umas das principais forças de Minas, mantendo o controle na capital mineira, com a reeleição de Alexandre Kalil, e em Betim, com Vittorio Medioli. De acordo com os dados do TSE, o partido aumentou de 55 prefeituras no Estado, em 2016, para 78 este ano.

O PP, que tinha contabilizado derrotas nas últimas eleições, voltou a crescer no Estado, passando de 55 prefeituras para 66. O Avante passa a controlar 50 prefeituras, se destacando na política mineira, enquanto que o PT viu reduzindo o seu espaço com apenas 26 prefeituras.

Curtas

* Nos bastidores da política no final da noite e início desta madrugada, o ti-ti-ti era grande sobre uma ocorrência policial envolvendo um vereador que não conseguiu se reeleger. A informação é de que ele decidiu descontar na esposa a toda sua raiva contra as urnas. O bafafá doméstico resultou até em ocorrência policial.

* Uma coisa é preciso ficar bem clara nesse tiroteio contra o reajuste da passagem do transporte público. A concessionária do serviço não tem nada a ver com o imbróglio criado pela administração municipal que já deveria ter resolvido o problema da concorrência para a nova concessão dois anos atrás e só não o fez por absoluta incompetência.

* A concessionária apenas reivindica aquilo que está no contrato firmado com a Prefeitura, se existe algo errado nenhuma culpa cabe a empresa cujo serviço continua sendo bem avaliado pelos usuários. A responsabilidade inclusive pela prorrogação do contrato e pelos contratos emergenciais são consequências da falta de prioridade com que o assunto foi tratado peta administração. É isso.

* Tão logo foi divulgado o resultado das urnas com a derrota do candidato do seu partido a prefeito, o deputado estadual Mauro Tramonte, do Republicanos, postou em um grupo de whatsapp um desabafo dando a entender que a partir daquele momento estaria virando as costas para a cidade. Claro que foi apenas um desabafo de momento e quem conhece o deputado sabe que além de ser nascido aqui ainda mantem na cidade residência fixa onde continuam morando seus familiares e que jamais faria isso.

* No entanto o bom senso indica que o deputado não só continuará trabalhando pela cidade como seria uma atitude de grandeza e bom senso, o prefeito reeleito procura-lo para juntos reivindicarem ajuda do governo estadual para as obras que o município necessita. A eleição terminou no dia 15 e a partir de agora o que a população espera é a união de forças em benefício da coletividade, o que não impede o deputado de continuar fazendo oposição e apontando erros cometidos pelo prefeito, assim como a recíproca também é permitida.

* Como dissemos neste espaço, as inadiáveis medidas impopulares que o prefeito precisaria tomar logo após a eleição e no início do próximo mandato provocarão desgaste na sua imagem e prejuízo para o capital político acumulado com a vitória nas urnas.Um capital político pequeno, uma vez que 87.253 mil eleitores de um colégio eleitoral com 117.924 não votaram nele para um segundo mandato. A reação nas redes sociais ao reajuste no preço da tarifa do transporte público em vigor desde a zero hora desta segunda-feira é uma mostra do que vem pela frente.

* Esta reação além de reduzir o capital politico acumulado na reeleição, pode ser um incentivo para as forças de oposição, que estão parecendo baratas tontas com o resultado das urnas, possamencontrar novamente o eixo para se reagrupar e iniciar uma nova ofensiva já de olho nas eleições de 2022O único problema continua sendo a falta de liderança para comandar a tropa.

* E por falar em 2022, a possibilidade de o prefeito Sérgio Azevedo abandonar o cargo para disputar vaga de deputado estadual em 2022 é próxima de zero, por vários motivos, entre eles, a inexperiência do vice na área pública e segundo porque como servidor de carreira e com bom salário, o prefeito dificilmente entraria nessa aventura. Deve apoiar outra pessoa de sua confiança para tentar repetir a boa votação que deu ao então aliado e desconhecido Ulisses Guimarães, na eleição passada. O mais cotado para a disputa é o secretário de governo Celso Donato, se bem que ele também sonha com a cadeira do chefe na próxima em 2024.

* Do alto (nem tanto) da sua reeleição para um segundo mandato o vereador tucano Ricardo Sabino já sonha em presidir a Câmara Municipal no primeiro biênio da próxima legislatura. Já avisou o presidente do PSDB que será candidato ao cargo e não abre mão disso.Tem o apoio irrestrito da sua colega de legislativo (por enquanto), Ligia Podestá.

* Comparada a um jogo de futebol, a campanha eleitoral deste ano mostrou o prefeito Sérgio Azevedo passeando em campo, driblando os adversários e em alguns momentos até se dando ao luxo de esnobar com jogadas de classe para delírio da torcida que ao final aplaudiu o vencedor que ganhou de goleada do time adversário, formado por oito pernas de pau, jogando com três veteranos fora de forma: Geraldo Thadeu, Eloisio Lourenço e ÉrculesTassinari.

* A expectativa com vistas a nova composição do legislativo na próxima legislatura está focada na atuação de pelo menos três dos novos vereadores: Douglas Dofu, eleito pelo DEM, sem as amarras sociais ou religiosas, com uma boa desenvoltura política e que embora integre a bancada da situação não deve atuar preso as amarras do executivo; Roberto santos, do Republicanos, um ex-deputado que terá assento na Câmara e que já avisou que não veio para apenas ser mais um, e o petista DineyLenon que representa a renovação da esquerda na cidade.

* O trio deve dominar o espetáculo que terá ainda Lucas Arruda e Tiago Braz, da Rede para engrossar o coro da oposição, embora com um comportamento moderado. De quebra temos ainda Kleber Silva, do partido Novo que vai atuar de comum acordo com os colegas que compõem a executiva da legenda. Resumo da ópera: o cenário indica que o chefe do executivo enfrentará um legislativo mais atuante e terá pela frente muitos obstáculos para aprovar seus projetos.

* Na bancada da situação o executivo terá a experiente vereadora Regina Cioffi que todos sabem, não é flor que se cheire. Tem personalidade própria, está recomeçando a carreira e como sempre, sem esquecer objetivos maiores na política.

* Existe curiosidade também sobre qual vereador da bancada da situação terá a incumbência de enfrentar o petista DineyLenon em plenário. Na legislatura atual a tarefa coube ao experiente Antonio Carlos Pereira que ao invés do enfrentamento preferiu abrir diálogo com o oposicionista Paulo Tadeu, sendo algumas vezes mal interpretado pelo comando do executivo.

* E por falar nisso, esta semana a comissão de inquérito que apura irregularidades na aplicação e recursos dos fundos municipais deve se reunir para elaborar o relatório final da investigação. E olhem como ficou a comissão: Pedrinho da Zona Sul, Antonio Carlos Pereira, AlvaroCagnani, Paulo Eustáquio e Paulo Tadeu, todos derrotados nas urnas e com uma certa bronca do governo de quem reclamam não ter recebido apoio durante a campanha.

* E como ninguém é de ferro, passada a primeira semana da eleição, o prefeito reeleito Sérgio Azevedo deve tirar pelo menos uma semana de folga com a namorada, nossa querida coleguinha, a jornalista, Elizângela Zanetti, para repor as energias. Quem deve religar o celular depois de duas semanasfora do ar, para atender chamadas e responder mensagens é o secretário de governo Celso Donato que assume o posto na ausência do chefe.

* Quem estará no programa Canal Aberto, da TV Poços, nesta segunda-feira, é o gerente executivo da empresa Circullare, Armando Bertoni, Vai explicar a situação da empresa e as razões que levaram ao reajuste no preço nas passagens. Tarefa que a bem da verdade caberia a alguém da administração municipal que é a gestora do contrato de concessão e única responsável pelo serviço. Na condição de concessionária a empresa apenas cumpre as cláusulas contratuais e as exigências feitas pela contratante, nada mais que isso.

* A nota está na coluna de Ancelmo Góis, ontem, no Globo. O fiasco nas urnas do Partido Novo, que não conseguiu eleger nenhum prefeito na eleição do dia 15, pode levar o governador Romeu Zema a procurar abrigo em outra legenda visando a eleição de 2022. Zema vive divergindo do comando nacional da sigla que sempre quer ser mais realista do que o rei e se o partido não der alguma abertura, seu futuro é incerto. Não fosse a amarelada do seu candidato em Poços, a legenda poderia ter eleito por aqui o seu único prefeito.Zema diz em privado que se não houver mudanças, vai desembarcar.

* Estranhamente, o comitê que gerencia as ações do Covid-19 em Poços de Caldas não divulga o boletim diário com os números da pandemia desde a sexta-feira, dia 20. Nenhuma explicação também foi dada para a não divulgação dos boletins de sábado e domingo e na página oficial da prefeitura consta apenas o último boletim.

Reajuste no transporte 

Reajuste no transporte 

A Prefeitura informa que, a partir desta segunda-feira, a tarifa básica do transporte coletivo urbano será de R$ 4,25. O valor da tarifa não sofria alterações há dois anos e está de acordo com o novo contrato emergencial no 609, celebrado entre o município e a empresa...

ler mais
Recuperação judicial da Expresso Gardênia

Recuperação judicial da Expresso Gardênia

A Justiça de Minas Gerais deferiu a recuperação judicial da Expresso Gardênia Ltda, empresa com sede em Belo Horizonte. A decisão em primeira instância foi assinada pelo juiz Adilon Cláver de Resende, da 2ª Vara Empresarial da Comarca de Belo Horizonte, que deferiu...

ler mais
Covid-19: Mortes chegam a 168 mil

Covid-19: Mortes chegam a 168 mil

O número de mortes em função da pandemia do novo coronavírus chegou a 168.989 no sábado. De sexta-feira para sábado, foram registradas 376 novas mortes por Covid-19. Ontem, o sistema marcava 168.613 óbitos desde o início da pandemia. Ainda há 2.176 falecimentos em...

ler mais
Fechar Menu