Revista One 27

Clique e leia:

Revista One 27

Poços esteve presente na reunião geral da Frente Nacional dos Prefeitos

Os dois dias da 81ª Reunião Geral da Federação Nacional de Prefeitos (FNP), realizada nesta quinta e sexta-feira, 25 e 26, em Aracaju, levantaram importantes discussões sobre a saúde pública, como os desafios de financiamento, consórcios intermunicipais, legislações e perspectivas da saúde para o pós-pandemia, segundo o prefeito de Aracaju e presidente da FNP, Edvaldo Nogueira.

Poços de Caldas foi uma das seis cidades mineiras presentes ao encontro e a única da região sul. Lá estiveram o prefeito Sérgio Azevedo e o secretário de governo Celso Donato que consideraram a reunião geral da FNP muito importante e esclarecedora porque mostrou que a maioria dos problemas enfrentados pelos chefes dos executivos municipais são praticamente os mesmos.

“Aproveitamos a retomada das nossas reuniões presenciais para discutir a continuidade do combate à pandemia, questões relacionadas ao financiamento da saúde pública, e a preparação dos municípios para o pós-pandemia”, destacou o presidente da FNP.

Carta de Aracaju

Ao final do encontro foi escrita a Carta de Aracaju, com o resultado da reunião, destacando os principais assuntos debatidos entre os prefeitos e autoridades nacionais, como o presidente da Câmara Federal, deputado Arthur Lira, que foi um dos palestrantes.

A Carta de Aracaju foi elaborada a partir das principais discussões expostas durante os dois dias de Reunião Geral da FNP. No documento, prefeitos e prefeitas externam preocupação com a crise do transporte público, agravada em virtude da pandemia do novo coronavírus. Os gestores também solicitam o estabelecimento de uma rápida articulação federativa, voltada à construção de alternativas emergenciais e estruturantes para o setor, com a finalidade de “evitar o iminente colapso e a desassistência da população”.

“Como medida para ajudar a enfrentar esse cenário, a Frente Nacional de Prefeitos, além de defender a desoneração dos impostos federais e estaduais no preço do diesel, protocolou no Ministério da Economia proposta para financiar a gratuidade dos idosos, durante reunião realizada com o ministro Paulo Guedes, dia 21 de julho”, justificam os gestores no documento.

Na Carta, os governantes municipais também reivindicam uma articulação para que as PEC’s 13/2021, cujo texto propõe o prolongamento do prazo da aplicação do mínimo de 25% na Educação para 2023, em virtude da pandemia do novo coronavírus, e 122/2015, que proíbe a instituição de novos encargos aos municípios, sem a indicação dos recursos para custeá-los, sejam rapidamente aprovadas. Eles destacam que os projetos já tramitam no Congresso Federal e que “impactam no financiamento das cidades e na vida das pessoas”.

Sobre o pagamento dos pisos do magistério e de enfermagem, os prefeitos e prefeitas ressaltam, no documento, que os desafios federativos “devem ser assumidos e compartilhados entre os entes”.

“Caso a União não aporte recursos específicos e suficientes para o pagamento do reajuste do piso do magistério em vigor, os governantes locais defendem a aprovação do PL 3776/2008 para estabelecer o INPC como novo índice de reajuste do piso. Na mesma direção, apoiam a instituição do piso de enfermagem, previsto no PL 2564/2020, desde que sejam indicados os recursos federais necessários para custear o impacto da medida, estimado em R$ 12,6 bilhões”, observam.

Solução para Rodovia do Contorno

Em vídeo divulgado na noite de ontem, o secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade, Fernando Marcato, esclareceu o questionamento feito pelo deputado estadual Mauro Tramonte sobre a situação da Rodovia do Contorno.

“A gente sabe que houve um problema no pavimento, na verdade houve um excesso de betuminoso em algumas áreas e vamos fazer uma microfresagem para regularizar o solo e com isso vai parar esta questão das bolhas e do desgaste que está saindo no pavimento”, afirmou Marcato.

O secretário garantiu, ainda, que a partir de quarta-feira a empresa já deve estar em campo.

“Queria reconhecer de público pleno que esta foi uma ação de fiscalização, de empenho do deputado Mauro Tramonte e da sua assessoria que estão acompanhando esse projeto, que veem trabalhando junto com o governo, fazendo as cobranças, fazendo as necessárias fiscalizações. Graças ao deputado Mauro temos acompanhado isso muito de perto”, informou o secretário.

‘Em meu nome, não’

Caiu para o vereador Diney Lenon a relatoria, na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Municipal, do projeto de lei de autoria do Executivo de subsídio na ordem de R$ 2,4 milhões para a empresa concessionária do transporte coletivo Circullare.

Nas redes sociais o vereador já vem demonstrando como vai se posicionar como relator, divulgando um documento intitulado ‘Em meu nome, não’ afirmando que primeiro anunciam que a passagem deveria custar R$ 6,08 “com a função de assustar a população e a preparar para aceitação de um aumento”.

Afirma ainda que renovam o contrato de “forma ilegal com a empresa que praticamente manda na cidade”.

Que aumentam a passagem para R$ 4,75. Que enviam para Câmara projeto que vai garantir à empresa até R$ 2,4 milhões dos nossos impostos.

Que contam com o apoio de vereadores desse benefício para a empresa, enquanto o povo reclama do transporte.

“Não contem comigo nesse teatro. Serei o relator desse projeto e não seri parte dessa vergonha”, garantiu Diney no documento.

Nada de concreto

Sobre a possibilidade de Tiago Cavelagna, presidente do diretório municipal do DME, voltar a ocupar uma secretaria municipal a partir do ano que vem, o vice-prefeito Júlio de Freitas afirmou que o nome dele vai ser sempre lembrado, pela capacidade, profissionalismo e por ter ocupado cargos de responsabilidade.

“O Tiago é sempre lembrado para qualquer secretaria. Uma pessoa que já foi vereador, com tantos projetos, tantas propostas, vai ser sempre lembrado.Mas,não existe nada de concreto”, garantiu.

Júlio disse que há muitos comentários na cidade sobre o assunto, que respeita, só que não é nada oficial.

Pré-candidatura

Sobre as eleições do próximo ano, o presidente da Câmara, vereador Marcelo Heitor, do PSC, confirmou ter sido visitado em seu gabinete pelo deputado Noraldino Júnior, do seu partido, que o convidou a se candidatar a deputado estadual por Poços e região.

“Fiquei muito feliz e honrado com o convite. As coisas estão acontecendo de forma natural, meu nome está à disposição, é uma decisão que precisa de avaliações. Estou como pré-candidato, mas meu foco principal no momento é a Câmara, com a responsabilidade da presidência, que é um grande desafio”, garantiu.

Marcelo disse que só no ano que vem vai tomar esta decisão e que ainda dentro do seu grupo há outras pessoas com vontade de se candidatar.

“Que Poços consiga eleger deputado estadual e federal. Temos o deputado estadual Tramonte, o mais votado de Minas Gerais, que está trabalhando com muita responsabilidade por Poços e por todo o Estado e que deverá se recandidatar, mas Poços já teve, tempos atrás, dois deputados estaduais e federais”, recordou.

Ainda segundo Marcelo é bom lembrar a importância da cidade contar com representatividade junto a Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados na busca por mais recursos. “Basta ver os casos de Pouso Alegre e Varginha,que têm seus representantes e deram um salto muito grande”, afirmou.

* Se os 15 vereadores, ou pelo menos a maioria deles, forem seguir a orientação que deve ser passada a eles pelo advogado Marcelo Salles Medeiros, assessor jurídico do poder legislativo, para que o projeto de revisão do Plano Diretor que está em tramitação no legislativo seja aprovado sem alterações, ou seja sem emendas, mais uma vez o projeto deve retornar para o executivo sem aprovação.

* Também seria difícil entender como um projeto de lei encaminhado pelo poder executivo a Câmara Municipal, não possa receber emendas propostas pelos vereadores que foram eleitos com a função não só de fiscalizar os atos do executivo, mas acima de tudo, aprimorar as leis em benefício da população.

* O presidente da Câmara, Marcelo Heitor, disse desconhecer tal posição do assessor jurídico e garantiu que uma nova audiência sobre o Plano Diretor está agendada para quarta-feira e que o projeto não será aprovado na forma original, como foi enviado para a Câmara.

* Uma das sugestões de emendas para serem incluídas na revisão do Plano Diretor diz respeito a abertura de uma via ligando a zona oeste, desde o loteamento aberto pela empresa Bento Gonçalves até a Rodovia do Contorno, ligação esta que facilitaria o trânsito para a zona sul e reduziria o volume de tráfego tanto pela Avenida João Pinheiro como pelas vias do centro.

* O certo é que o projeto de revisão do Plano Diretor está encrencado há mais de dez anos e no final de 2016, após ser eleito para o primeiro mandato, quando a proposta estava fechada para ir a plenário, o prefeito eleito solicitou sua retirada com a promessa de que devolveria o projeto para o legislativo no primeiro semestre do seu governo. Isso já faz cinco anos ainda não foi aprovada.

* Há quem diga que o projeto de lei que está no legislativo nem mesmo poderia ser apreciado e votado porque foi elaborado sem que antes fosse feito um diagnóstico da cidade com os impactos ambientais e outros estudos que devem nortear o Plano Diretor. A vereadora Regina Cioffi até sugeriu a contratação pela Câmara de uma empresa para realizar os estudos, proposta que não foi aceita pelo vereador Marcelo Heitor, presidente da Casa.

* Nas conversas em off pelos corredores do poder legislativo fica claro que alguns vereadores que integram a bancada da situação não estão satisfeitos com o tratamento recebido por parte de alguns secretários, principalmente do titular da Secretaria de Planejamento, que dia desses respondeu de forma grosseira para uma vereadora.

* No encontro da FNP em Aracaju, Celso Donato esteve com o deputado Arthur Lira (PP) com quem bateu um papo sobre sua pré-candidatura a deputado federal. Lira elogiou Poços de Caldas, dizendo que uma cidade importante como essa merece estar representada em Brasília e desejou boa sorte ao secretário de governo.

* Sobre as prévias para escolha do candidato à presidência da República pelo PSDB, o presidente do diretório local da legenda, Celso Donato, informou que no domingo passado ele, mais o prefeito e vereadores do partido tentaram votar, mas não conseguiram. Como a continuidade da votação está agendada para este sábado, quando irão tentar novamente votar no candidato definido pela legenda em Poços.

* Como informou o vice Júlio de Freitas, o prefeito Sérgio Azevedo é contra a venda do prédio das Thermas Antonio Carlos, como propõe a Codemge, estatal mineira que administra o imóvel. O certo seria o prefeito oficializar esta posição junto ao governador Romeu Zema, assim como o presidente da Câmara, Marcelo Heitor, em nome de todos os vereadores.

* As indefinições sobre a descoberta de nova variante do vírus causador da covid-19 mobilizam as autoridades sanitárias em Minas Gerais. Nesta sexta-feira, a Secretaria de Estado de Saúde informou que vai monitorar o registro de casos causados pela B.1.1.529, nomeada de ‘ômicron’, que foi detectada na África do Sul e em Hong Kong.

* O senador Carlos Viana (PSD-MG) deve divulgar até a próxima semana para qual partido deve ir para disputar o governo de Minas. Ele deixara o PSD já que o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), deve ser o candidato da sigla a disputar o Palácio Tiradentes em 2022. Viana afirmou que está em negociação com duas legendas, mas não quis adiantar quais são. Disse apenas que são dois partidos que não integram a base de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

* A tarde de ontem foi de muito ti-ti-ti nos corredores do legislativo por conta de uma afirmação do assessor jurídico sobre o projeto de revisão do Plano Diretor. O próprio presidente Marcelo Heitor disse que ele pode ter sido mal interpretado na sua fala, mas que seu parecer sobre as emendas a serem incluídas no projeto será favorável aos vereadores. Ainda bem, mas já tem vereador sentindo saudades do seu antecessor, João Azevedo.

* Estamos aguardando uma posição do nobre deputado Mauro Tramonte (Republicanos), sobre a atitude da Codemge em colocar a venda prédios públicos pertencentes a estatal do Estado, dentre eles as Thermas Antonio Carlos, edificação tombada pelo patrimônio histórico que representa a história do município, fundado em razão das suas águas sulfurosas.

* Mais um nome de pré-candidato a deputado federal surgiu ontem, durante troca de mensagens entre lideranças políticas e jornalistas. Trata-se do empresário Silvio José Ferreira, comerciante e cafeicultor, diretor da TV Poços.  Seu nome foi citado junto com o ex-prefeito de Caldas e também pré-candidato a deputado, Ulisses Guimarães. Indagado pelo blog sobre as especulações, Silvio disse que está sim, em negociação para se lançar candidato, mas a estadual, tendo Ulisses como companheiro de chapa, ambos pelo MDB.

* O Ministério da Saúde divulgou uma nota técnica na noite dessa quinta-feira em que orienta que os 4 milhões de brasileiros que se vacinaram com o imunizante da Janssen tomem uma dose de reforço entre dois e seis meses após a primeira aplicação. A recomendação do ministério é que seja utilizado a vacina do mesmo fabricante. O problema é que em Poços não temos esta vacina para a segunda dose.

* O comando do executivo deixou o final de semana dos servidores municipais mais alegre neste final de semana. Ontem, sexta-feira, já estava na conta o dinheiro do vale-alimentação que a partir deste mês é de 530 reais. Vai dar tempo para aproveitar as ofertas da Black Friday.

Poços esteve presente na reunião geral da Frente Nacional dos Prefeitos

Os dois dias da 81ª Reunião Geral da Federação Nacional de Prefeitos (FNP), realizada nesta quinta e sexta-feira, 25 e 26, em Aracaju, levantaram importantes discussões sobre a saúde pública, como os desafios de financiamento, consórcios intermunicipais, legislações e perspectivas da saúde para o pós-pandemia, segundo o prefeito de Aracaju e presidente da FNP, Edvaldo Nogueira.

Poços de Caldas foi uma das seis cidades mineiras presentes ao encontro e a única da região sul. Lá estiveram o prefeito Sérgio Azevedo e o secretário de governo Celso Donato que consideraram a reunião geral da FNP muito importante e esclarecedora porque mostrou que a maioria dos problemas enfrentados pelos chefes dos executivos municipais são praticamente os mesmos.

“Aproveitamos a retomada das nossas reuniões presenciais para discutir a continuidade do combate à pandemia, questões relacionadas ao financiamento da saúde pública, e a preparação dos municípios para o pós-pandemia”, destacou o presidente da FNP.

Carta de Aracaju

Ao final do encontro foi escrita a Carta de Aracaju, com o resultado da reunião, destacando os principais assuntos debatidos entre os prefeitos e autoridades nacionais, como o presidente da Câmara Federal, deputado Arthur Lira, que foi um dos palestrantes.

A Carta de Aracaju foi elaborada a partir das principais discussões expostas durante os dois dias de Reunião Geral da FNP. No documento, prefeitos e prefeitas externam preocupação com a crise do transporte público, agravada em virtude da pandemia do novo coronavírus. Os gestores também solicitam o estabelecimento de uma rápida articulação federativa, voltada à construção de alternativas emergenciais e estruturantes para o setor, com a finalidade de “evitar o iminente colapso e a desassistência da população”.

“Como medida para ajudar a enfrentar esse cenário, a Frente Nacional de Prefeitos, além de defender a desoneração dos impostos federais e estaduais no preço do diesel, protocolou no Ministério da Economia proposta para financiar a gratuidade dos idosos, durante reunião realizada com o ministro Paulo Guedes, dia 21 de julho”, justificam os gestores no documento.

Na Carta, os governantes municipais também reivindicam uma articulação para que as PEC’s 13/2021, cujo texto propõe o prolongamento do prazo da aplicação do mínimo de 25% na Educação para 2023, em virtude da pandemia do novo coronavírus, e 122/2015, que proíbe a instituição de novos encargos aos municípios, sem a indicação dos recursos para custeá-los, sejam rapidamente aprovadas. Eles destacam que os projetos já tramitam no Congresso Federal e que “impactam no financiamento das cidades e na vida das pessoas”.

Sobre o pagamento dos pisos do magistério e de enfermagem, os prefeitos e prefeitas ressaltam, no documento, que os desafios federativos “devem ser assumidos e compartilhados entre os entes”.

“Caso a União não aporte recursos específicos e suficientes para o pagamento do reajuste do piso do magistério em vigor, os governantes locais defendem a aprovação do PL 3776/2008 para estabelecer o INPC como novo índice de reajuste do piso. Na mesma direção, apoiam a instituição do piso de enfermagem, previsto no PL 2564/2020, desde que sejam indicados os recursos federais necessários para custear o impacto da medida, estimado em R$ 12,6 bilhões”, observam.

Solução para Rodovia do Contorno

Em vídeo divulgado na noite de ontem, o secretário de Estado de Infraestrutura e Mobilidade, Fernando Marcato, esclareceu o questionamento feito pelo deputado estadual Mauro Tramonte sobre a situação da Rodovia do Contorno.

“A gente sabe que houve um problema no pavimento, na verdade houve um excesso de betuminoso em algumas áreas e vamos fazer uma microfresagem para regularizar o solo e com isso vai parar esta questão das bolhas e do desgaste que está saindo no pavimento”, afirmou Marcato.

O secretário garantiu, ainda, que a partir de quarta-feira a empresa já deve estar em campo.

“Queria reconhecer de público pleno que esta foi uma ação de fiscalização, de empenho do deputado Mauro Tramonte e da sua assessoria que estão acompanhando esse projeto, que veem trabalhando junto com o governo, fazendo as cobranças, fazendo as necessárias fiscalizações. Graças ao deputado Mauro temos acompanhado isso muito de perto”, informou o secretário.

‘Em meu nome, não’

Caiu para o vereador Diney Lenon a relatoria, na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Municipal, do projeto de lei de autoria do Executivo de subsídio na ordem de R$ 2,4 milhões para a empresa concessionária do transporte coletivo Circullare.

Nas redes sociais o vereador já vem demonstrando como vai se posicionar como relator, divulgando um documento intitulado ‘Em meu nome, não’ afirmando que primeiro anunciam que a passagem deveria custar R$ 6,08 “com a função de assustar a população e a preparar para aceitação de um aumento”.

Afirma ainda que renovam o contrato de “forma ilegal com a empresa que praticamente manda na cidade”.

Que aumentam a passagem para R$ 4,75. Que enviam para Câmara projeto que vai garantir à empresa até R$ 2,4 milhões dos nossos impostos.

Que contam com o apoio de vereadores desse benefício para a empresa, enquanto o povo reclama do transporte.

“Não contem comigo nesse teatro. Serei o relator desse projeto e não seri parte dessa vergonha”, garantiu Diney no documento.

Nada de concreto

Sobre a possibilidade de Tiago Cavelagna, presidente do diretório municipal do DME, voltar a ocupar uma secretaria municipal a partir do ano que vem, o vice-prefeito Júlio de Freitas afirmou que o nome dele vai ser sempre lembrado, pela capacidade, profissionalismo e por ter ocupado cargos de responsabilidade.

“O Tiago é sempre lembrado para qualquer secretaria. Uma pessoa que já foi vereador, com tantos projetos, tantas propostas, vai ser sempre lembrado.Mas,não existe nada de concreto”, garantiu.

Júlio disse que há muitos comentários na cidade sobre o assunto, que respeita, só que não é nada oficial.

Pré-candidatura

Sobre as eleições do próximo ano, o presidente da Câmara, vereador Marcelo Heitor, do PSC, confirmou ter sido visitado em seu gabinete pelo deputado Noraldino Júnior, do seu partido, que o convidou a se candidatar a deputado estadual por Poços e região.

“Fiquei muito feliz e honrado com o convite. As coisas estão acontecendo de forma natural, meu nome está à disposição, é uma decisão que precisa de avaliações. Estou como pré-candidato, mas meu foco principal no momento é a Câmara, com a responsabilidade da presidência, que é um grande desafio”, garantiu.

Marcelo disse que só no ano que vem vai tomar esta decisão e que ainda dentro do seu grupo há outras pessoas com vontade de se candidatar.

“Que Poços consiga eleger deputado estadual e federal. Temos o deputado estadual Tramonte, o mais votado de Minas Gerais, que está trabalhando com muita responsabilidade por Poços e por todo o Estado e que deverá se recandidatar, mas Poços já teve, tempos atrás, dois deputados estaduais e federais”, recordou.

Ainda segundo Marcelo é bom lembrar a importância da cidade contar com representatividade junto a Assembleia Legislativa e Câmara dos Deputados na busca por mais recursos. “Basta ver os casos de Pouso Alegre e Varginha,que têm seus representantes e deram um salto muito grande”, afirmou.

* Se os 15 vereadores, ou pelo menos a maioria deles, forem seguir a orientação que deve ser passada a eles pelo advogado Marcelo Salles Medeiros, assessor jurídico do poder legislativo, para que o projeto de revisão do Plano Diretor que está em tramitação no legislativo seja aprovado sem alterações, ou seja sem emendas, mais uma vez o projeto deve retornar para o executivo sem aprovação.

* Também seria difícil entender como um projeto de lei encaminhado pelo poder executivo a Câmara Municipal, não possa receber emendas propostas pelos vereadores que foram eleitos com a função não só de fiscalizar os atos do executivo, mas acima de tudo, aprimorar as leis em benefício da população.

* O presidente da Câmara, Marcelo Heitor, disse desconhecer tal posição do assessor jurídico e garantiu que uma nova audiência sobre o Plano Diretor está agendada para quarta-feira e que o projeto não será aprovado na forma original, como foi enviado para a Câmara.

* Uma das sugestões de emendas para serem incluídas na revisão do Plano Diretor diz respeito a abertura de uma via ligando a zona oeste, desde o loteamento aberto pela empresa Bento Gonçalves até a Rodovia do Contorno, ligação esta que facilitaria o trânsito para a zona sul e reduziria o volume de tráfego tanto pela Avenida João Pinheiro como pelas vias do centro.

* O certo é que o projeto de revisão do Plano Diretor está encrencado há mais de dez anos e no final de 2016, após ser eleito para o primeiro mandato, quando a proposta estava fechada para ir a plenário, o prefeito eleito solicitou sua retirada com a promessa de que devolveria o projeto para o legislativo no primeiro semestre do seu governo. Isso já faz cinco anos ainda não foi aprovada.

* Há quem diga que o projeto de lei que está no legislativo nem mesmo poderia ser apreciado e votado porque foi elaborado sem que antes fosse feito um diagnóstico da cidade com os impactos ambientais e outros estudos que devem nortear o Plano Diretor. A vereadora Regina Cioffi até sugeriu a contratação pela Câmara de uma empresa para realizar os estudos, proposta que não foi aceita pelo vereador Marcelo Heitor, presidente da Casa.

* Nas conversas em off pelos corredores do poder legislativo fica claro que alguns vereadores que integram a bancada da situação não estão satisfeitos com o tratamento recebido por parte de alguns secretários, principalmente do titular da Secretaria de Planejamento, que dia desses respondeu de forma grosseira para uma vereadora.

* No encontro da FNP em Aracaju, Celso Donato esteve com o deputado Arthur Lira (PP) com quem bateu um papo sobre sua pré-candidatura a deputado federal. Lira elogiou Poços de Caldas, dizendo que uma cidade importante como essa merece estar representada em Brasília e desejou boa sorte ao secretário de governo.

* Sobre as prévias para escolha do candidato à presidência da República pelo PSDB, o presidente do diretório local da legenda, Celso Donato, informou que no domingo passado ele, mais o prefeito e vereadores do partido tentaram votar, mas não conseguiram. Como a continuidade da votação está agendada para este sábado, quando irão tentar novamente votar no candidato definido pela legenda em Poços.

* Como informou o vice Júlio de Freitas, o prefeito Sérgio Azevedo é contra a venda do prédio das Thermas Antonio Carlos, como propõe a Codemge, estatal mineira que administra o imóvel. O certo seria o prefeito oficializar esta posição junto ao governador Romeu Zema, assim como o presidente da Câmara, Marcelo Heitor, em nome de todos os vereadores.

* As indefinições sobre a descoberta de nova variante do vírus causador da covid-19 mobilizam as autoridades sanitárias em Minas Gerais. Nesta sexta-feira, a Secretaria de Estado de Saúde informou que vai monitorar o registro de casos causados pela B.1.1.529, nomeada de ‘ômicron’, que foi detectada na África do Sul e em Hong Kong.

* O senador Carlos Viana (PSD-MG) deve divulgar até a próxima semana para qual partido deve ir para disputar o governo de Minas. Ele deixara o PSD já que o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), deve ser o candidato da sigla a disputar o Palácio Tiradentes em 2022. Viana afirmou que está em negociação com duas legendas, mas não quis adiantar quais são. Disse apenas que são dois partidos que não integram a base de apoio ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

* A tarde de ontem foi de muito ti-ti-ti nos corredores do legislativo por conta de uma afirmação do assessor jurídico sobre o projeto de revisão do Plano Diretor. O próprio presidente Marcelo Heitor disse que ele pode ter sido mal interpretado na sua fala, mas que seu parecer sobre as emendas a serem incluídas no projeto será favorável aos vereadores. Ainda bem, mas já tem vereador sentindo saudades do seu antecessor, João Azevedo.

* Estamos aguardando uma posição do nobre deputado Mauro Tramonte (Republicanos), sobre a atitude da Codemge em colocar a venda prédios públicos pertencentes a estatal do Estado, dentre eles as Thermas Antonio Carlos, edificação tombada pelo patrimônio histórico que representa a história do município, fundado em razão das suas águas sulfurosas.

* Mais um nome de pré-candidato a deputado federal surgiu ontem, durante troca de mensagens entre lideranças políticas e jornalistas. Trata-se do empresário Silvio José Ferreira, comerciante e cafeicultor, diretor da TV Poços.  Seu nome foi citado junto com o ex-prefeito de Caldas e também pré-candidato a deputado, Ulisses Guimarães. Indagado pelo blog sobre as especulações, Silvio disse que está sim, em negociação para se lançar candidato, mas a estadual, tendo Ulisses como companheiro de chapa, ambos pelo MDB.

* O Ministério da Saúde divulgou uma nota técnica na noite dessa quinta-feira em que orienta que os 4 milhões de brasileiros que se vacinaram com o imunizante da Janssen tomem uma dose de reforço entre dois e seis meses após a primeira aplicação. A recomendação do ministério é que seja utilizado a vacina do mesmo fabricante. O problema é que em Poços não temos esta vacina para a segunda dose.

* O comando do executivo deixou o final de semana dos servidores municipais mais alegre neste final de semana. Ontem, sexta-feira, já estava na conta o dinheiro do vale-alimentação que a partir deste mês é de 530 reais. Vai dar tempo para aproveitar as ofertas da Black Friday.

Revista One 27

Clique e leia:

Revista One 27